O comportamento do avestruz

Essas aves são pouco conhecidas fora da indústria de penas e ovos. No entanto, o comportamento do avestruz em liberdade pode ser muito interessante.

De todas as aves terrestres, o avestruz não se destaca apenas pelo seu tamanho, mas também pelo seu comportamento repleto de detalhes curiosos. O pequeno tamanho do seu cérebro, menor do que o dos olhos, deu aos avestruzes a reputação de seres pouco inteligentes, mas eles são animais perfeitamente adaptados ao seu ambiente.

Se você quer conhecê-los um pouco melhor, veio ao lugar certo. Como qualquer outra espécie, à medida que nos aprofundamos em sua natureza, os avestruzes despertam cada vez mais a nossa simpatia.

As características do avestruz

Os avestruzes (Struthio camelus) pertencem à ordem Struthiniformes e à família Struthionidae. Esse último agrupamento é composto por vários gêneros e espécies que já estão extintos, visto que Struthio é o único gênero que sobreviveu até hoje. Existem duas espécies de avestruzes atualmente: S. camelus, o avestruz comum, e S. molybdophanes ou o avestruz-somali.

Pode atingir quase 3 metros de altura e 150 quilos de peso, o que o torna a maior ave que não voa do mundo. Sua dieta é herbívora e se alimenta principalmente de ervas, caules duros, sementes, flores e frutas. Contudo, ocasionalmente consome carniça, insetos e pequenos vertebrados. Além disso, engole pedras e outras substâncias duras para ajudar em sua digestão.

Até meados do século XX, os avestruzes eram explorados em fazendas no sudoeste da Ásia, na Península Arábica e na África. Quando o mercado de suas penas desvalorizou, houve uma carnificina que levou à situação atual: os avestruzes só podem ser encontrados na África Subsaariana e em partes da África do Sul.

Você conhece o comportamento do avestruz?

 

O caráter do avestruz

A natureza dos avestruzes é temerosa, pois seu grande tamanho os mantém protegidos de predadores menores, mas não de outros como leões, guepardos ou hienas. Portanto, seu primeiro instinto será correr. Contudo, quando se encontram encurralados, podem desferir chutes e bicadas realmente perigosos.

Como curiosidade, os avestruzes gostam muito de tomar banho. Sempre que têm uma chance, eles vão chafurdar

Por outro lado, são animais gregários que vivem em grupos de até 50 exemplares, nos quais existe um macho e uma fêmea dominantes. Após a época de reprodução, podem surgir pequenos subgrupos que eventualmente se separam e se tornam outra família independente.

O comportamento do avestruz

Embora possa ser perigoso em combate, há mais adaptações no comportamento do avestruz para fugir do que para lutar. Uma das mais curiosas é grudar no chão, com o pescoço e a cabeça esticados na superfície. Isso é o que comumente se confunde com “enterrar a cabeça no chão”.

Os avestruzes reproduzem esse comportamento quando avistam um predador à distância, como uma estratégia de camuflagem, como se eles fossem um monte de areia. Também se observa como um sinal de submissão a outro avestruz dominante.

Os avestruzes não enterram realmente a cabeça no chão. Eles apenas se agacham para passarem despercebidos.

Cortejo e acasalamento

Durante a época de acasalamento, o macho e a fêmea dominantes vão acasalar. O resto dos machos terá que competir por fêmeas reprodutivas, empregando comportamentos de exibição que você poderá conferir abaixo.

O cortejo é feito por meio de uma dança em que o macho adota uma postura abaixada e abre as asas, para então balançá-las e sacudi-las. Ele faz isso acompanhando com vocalizações de cortejo parecidas com assobios.

Por sua vez, as fêmeas disponíveis começarão a bater as asas em direção ao solo e a abaixar a cabeça. Se o cortejo for bem-sucedido, a fêmea deitará no chão e o macho subirá nela para copular.

Comportamento reprodutivo

Após a fase de acasalamento, as fêmeas constroem um único ninho em que a dominante colocará seus ovos no centro, uma posição privilegiada contra ataques de predadores, e as restantes colocarão os seus ao redor. Durante os 40 dias até a eclosão dos ovos, as fêmeas ficam responsáveis por incubá-los e protegê-los.

Quando os filhotes nascem, machos e fêmeas são responsáveis por seus cuidados. Embora os avestruzes exibam imprinting, os pais não são capazes de reconhecer os próprios filhotes, por isso todos os adultos cuidam do grupo de jovens.

Como os machos são mais escuros do que as fêmeas, eles cuidam das vigílias noturnas. As fêmeas, por serem marrons, se camuflam melhor com a areia durante o dia.

Comportamento do avestruz em repouso

O comportamento do avestruz durante o repouso consiste em duas posições nas quais a ave não realiza nenhuma atividade, mas não está dormindo. Os avestruzes geralmente descansam em pé, relaxados, e à noite podem deitar no chão para descansar melhor. No entanto, eles não abandonam completamente seu comportamento de vigilância.

Durante esse repouso, os avestruzes apresentam comportamentos de catação ou termorregulação, abrindo ou batendo as asas. O objetivo principal é manter a plumagem em boas condições para o cortejo e eliminar possíveis parasitas. Eles também as abrem “em leque” para dissipar o calor armazenado em seus núcleos corporais.

Para se livrar dos patógenos, essas aves tomam banhos de poeira, deitando-se no chão e batendo as asas para levantar nuvens de areia. Depois, elas se levantam e sacodem as asas, eliminando a areia e possíveis hóspedes indesejados com ela.

A limpeza das penas, assim como a catação, têm um forte componente social. É comum ver um avestruz começar a arrumar suas penas e os outros, se estiverem se sentido calmos, o acompanham seguindo o mesmo comportamento. Esse processo também acontece com os banhos, nos quais essas aves acabam levantando grandes nuvens de poeira que podem ser vistas ao longe.

Cortejo dos avestruzes.

 

Atualmente, o avestruz está em um estado de conservação pouco preocupante, mas sua população está diminuindo ano após ano. Muitas organizações apelam para que a espécie seja incluída em um estado de maior ameaça, pois faz parte do programa de recuperação da savana africana, esse empoeirado lar de animais gigantes e ancestrais.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *