Curiosidades sobre a equidna, um mamífero incomum

A equidna é o mamífero vivo mais primitivo e antigo que existe, e pode ser encontrado na Austrália e no sul da Nova Guiné. Os seus espinhos não se soltam e não são venenosos, como muitos acreditam.

Conheça algumas curiosidades sobre a equidna, um mamífero incomum que desafia a categorização das suas espécies de várias maneiras.

Há quem a considere um elo perdido entre os mamíferos e os répteis, já que a equidna e o ornitorrinco – seu parente mais próximo – são “monotremados”, ou seja, mamíferos que depositam ovos.

No entanto, este animal possui pelos e produz leite, portanto, é classificado na ordem dos mamíferos. Apesar disso, esse fato não impede que alguns cientistas sugiram separá-los e criar a sua própria classificação que se encaixa em sua particularidade.

Algumas curiosidades sobre a equidna

Embora seja um mamífero, põe ovos

Como mencionamos anteriormente, o único outro animal que faz isso é o ornitorrinco, considerado a espécie mais semelhante à equidna. A fêmea da equidna deposita um único ovo de tamanho minúsculo, comparável a uma moeda de 10 centavos.

Este ovo é enrolado em um saco que se desenvolve pouco antes do ovo ser posto. Após 10 dias, o ovo choca e o bebê nasce. O filhote é chamado de puggle. Ele se alimenta do leite secretado pela mãe na bolsa e ficará pronto para deixá-lo aos dois meses de idade.

Nesse momento, os espinhos começam a crescer e ele fica apto a deixar a bolsa. O puggle permanece na toca e é alimentado pela mãe até aproximadamente os sete meses de idade, quando estará pronto para viver sozinho.

Animal de bico longo e curto sem bico

As espécies de equidna são classificadas como de bico longo ou bico curto, mas este animal não possui bico. É um nariz bastante longo que serve para cheirar o meio ambiente, a terra e localizar os alimentos. Este animal se alimenta de cupins, minhocas e outros pequenos insetos.

Equidna vista de perto

A equidna também usa o nariz para sentir as vibrações causadas pelas presas, e continua esperando até que elas se aproximem. Então, ela usa sua língua comprida e pegajosa para pegá-las e comê-las.

Elas parecem pesadas, mas são muito ativas

A equidna pode parecer uma bola de espinhos muito pesada e desajeitada devido ao seu tamanho. No entanto, na verdade ela tem um estilo de vida muito ativo, pois pode viajar longas distâncias em um dia. Ela também é muito boa em se defender e usa três opções para enfrentar o perigo.

Ele é capaz de fugir a toda velocidade, cavar um buraco e se esconder ou se aconchegar, deixando seus espinhos expostos. A capacidade de escavação geralmente é a sua melhor aposta.

Ela cava rapidamente até deixar à vista apenas um traseiro com espinhos, o que torna impossível para um predador pegá-la. Outras curiosidades sobre a equidna incluem o fato de que ela é uma excelente nadadora, e é muito eficaz ao escalar árvores.

Os espinhos são, na verdade, pelos

Esses longos espinhos que a equidna exibe são, na verdade, feitos de queratina. O seu comprimento pode chegar a dois centímetros e suas extremidades são afiadas, o que ajuda o animal a se proteger de predadores.

A equidna possui músculos na base da coluna que se movem independentemente. Isso permite que ela se encaixe firmemente nas rachaduras das pedras ou árvores para se proteger. Eles também servem para relaxar quando a estratégia é se tornar uma bola espinhosa.

Equidna em estrada

Apesar de suas estratégias morfológicas e qualidades para se proteger, a equidna é presa de dingos, gatos selvagens, raposas e demônios da Tasmânia. Outra ameaça para esta espécie são os carros. Centenas de exemplares da equidna são atropelados todos os anos quando tentam atravessar as estradas.

A equidna está correndo risco de extinção

Atualmente, três das quatro espécies conhecidas de equidna estão em perigo crítico de extinção: a equidna-de-attenborough, a equidna-de-bico-longo-oriental e a equidna-de-bico-longo-ocidental. Isto acontece devido à destruição do seu habitat e à caça indiscriminada.

Embora a quarta espécie, a equidna-de-bico-curto, seja mais difundida e rotulada como de menor preocupação, ela também é protegida pelas leis da Austrália.

As equidnas têm hábitos solitários e as suas diferentes espécies estão distribuídas no território australiano, na ilha da Tasmânia e na Nova Guiné. Elas podem ser vistas nas montanhas nevadas ou nos desertos quentes, enquanto procuram comida.

site do café

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *