Castração química em cães: em que consiste?

  • por

Para os cães que, por causa de uma condição médica, não possam passar por uma cirurgia, a castração química pode ser uma opção.

A esterilização cirúrgica é a maneira mais segura e eficaz de controlar a reprodução dos cães, além de impedir o aparecimento de outras patologias. No entanto, o uso da castração química em cães está se difundindo como uma maneira de evitar a superpopulação de cães de rua.

Estima-se que cerca de 75% dos cães que habitam o planeta perambulam e se reproduzem em diversos locais, sem nenhum tipo de controle. Isso pode levar a problemas graves, tais como a transmissão de doenças para seres humanos, para outros animais de estimação e para o gado. Por outro lado, pode haver casos de ataques a pessoas e acidentes de trânsito.

Os métodos de castração química incluem drogas hormonais, imunocontraceptivos e produtos químicos esterilizantes inorgânicos. Todos eles têm o mesmo objetivo: impedir a reprodução dos animais. Além disso, em algumas regiões onde a castração cirúrgica não é aceita culturalmente (Romênia, Bahamas etc.), a castração química pode ser uma boa alternativa.

Métodos hormonais de castração química em cães

A regulação hormonal da fertilidade em animais começa com um hormônio sintetizado no cérebro chamado: hormônio liberador de gonadotrofinas (GnHR).

Assim como o seu próprio nome sugere, o GnHR controla a liberação de gonadotrofinas e, também, do hormônio folículo-estimulante (FSH) e a do hormônio luteinizante (LH). Ambos, por sua vez, regulam a produção de hormônios sexuais e, finalmente, a espermatogênese, a ovulação e o comportamento sexual.

Os métodos hormonais de castração química em cães se concentram no uso de agentes que bloqueiam os receptores GnHR e, assim, como objetivo final, os espermatozoides deixam de ser produzidos.

A aplicação do tratamento geralmente é realizada através de um implante sob a pele. Esse implante libera o agente que impede a ação do hormônio liberador de gonadotrofinas (GnHR) de forma gradual.

Método imunocontraceptivo

Essa terapia de castração não cirúrgica em cães envolve a criação de uma vacina contraceptiva. Existem anticorpos que desempenham um papel importante na reprodução.

Portanto, se antígenos que causam a liberação desses anticorpos forem usados, podemos causar a infertilidade em cães, desde que haja uma concentração suficiente dos anticorpos no sangue.

Castração química em cães

Métodos químicos esterilizantes inorgânicos

Qualquer método químico de esterilização de machos deve atender a três critérios. Em primeiro lugar, deve ser eficaz em todos os animais tratados ou em uma alta porcentagem deles. Em segundo lugar, não pode haver efeitos colaterais e deve se tratar de um método seguro. Por fim, deve haver um efeito permanente e irreversível após uma única aplicação.

Gluconato de zinco neutralizado com arginina

Esse composto químico foi desenvolvido para a esterilização química de cães machos. Sua administração é feita através de uma injeção intratesticular no centro do testículo.

Essa medicação tem como resultado uma fibrose permanente e irreversível de várias estruturas, tais como os túbulos seminíferos, o rete testis e os epidídimos. Por esse motivo, ocorre a esterilização do cachorro.

No entanto, o fluxo hormonal permanece intacto. Visualmente, depois de um tempo, os testículos diminuem de tamanho e podem mudar de forma ou textura.

Cloreto de cálcio

Um dos compostos químicos mais utilizados é o cloreto de cálcio. Assim como o anterior, é injetado diretamente no testículo. Isso causa fibrose, necrose e degeneração dos túbulos seminíferos, de modo que o esperma não pode mais ser produzido.

É um método muito barato e indolor, portanto pode ser uma alternativa a outros medicamentos mais caros e que podem não estar disponíveis em muitos países.

Cloreto de sódio hipertônico

O cloreto de sódio hipertônico pode ser uma alternativa barata e fácil de administrar. Causa alterações degenerativas nos túbulos seminíferos testiculares através de uma injeção intratesticular.

Alguns estudos sugerem que esse método é ideal para cães jovens. No entanto, não funciona em cães adultos.

Vantagens e desvantagens da castração química em cães

De certa forma, a castração química em cães pode ser uma ótima alternativa à cirurgia. Apesar disso, também há um lado negativo. Por isso, o melhor a fazer é conversar com o seu veterinário para que ele ofereça as melhores opções para o seu cachorro.

Castração química em cães

Vantagens da esterilização não cirúrgica em cães

  • É um procedimento mais barato e mais simples.
  • Além disso, é uma boa opção para donos de cães que temem as cirurgias.
  • ONGs e protetores que ajudam os animais poderiam esterilizar muito mais animais.
  • Como não há cirurgia, há menos dor, estresse e menor possibilidade de hemorragia, hérnias e infecções, entre outras consequências cirúrgicas.
  • Nas regiões em desenvolvimento, onde não existem as instalações necessárias para realizar as esterilizações, é uma boa alternativa.

Desvantagens da castração química em cães

  • Podem aparecer efeitos colaterais no testículo, tais como dor, inchaço, vermelhidão e irritação.
  • Outros sintomas como letargia ou diarreia também podem aparecer.
  • Os hormônios sexuais continuam a ser produzidos, de modo que o comportamento sexual do macho não desaparece. Além disso, certas doenças causadas por esses hormônios ainda podem ocorrer, tais como hiperplasia da próstata ou câncer de testículo.

A castração química em cães é um procedimento que pode contribuir para o bem-estar do seu animal de estimação. Consulte o veterinário para saber mais sobre os benefícios oferecidos e sobre os cuidados que você deve prestar ao seu animal de estimação após a realização desse procedimento.

site do café

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *