As aves da boa sorte

  • por

Ao longo da história, muitos animais foram associados a lendas e superstições. As cegonhas levaram a melhor nesse quesito.

As cegonhas são aves pernaltas da ordem ciconiiformes, que também inclui as garças e os flamingos. Todas elas são caracterizadas pelo longo comprimento do bico, pescoço e patas. São aves migratórias, fazendo grandes viagens ao longo da vida. Dizem que elas carregam boa sorte para onde vão. Portanto, são reconhecidas como as aves da boa sorte.

Apesar disso, são frequentemente caçadas, tendo os seus ninhos destruídos porque “sujam” ou “perturbam”. Dessa forma, aves que antes eram bem-vindas nos lugares, agora são desprezadas. Aqui, vamos contar tudo o que você precisa saber sobre esses animais necessários e majestosos.

Características gerais das cegonhas

Em termos gerais, é uma ave inconfundível, de tamanho grande e notável envergadura, que apresenta uma característica plumagem branca. O bico, longo e pontudo, é laranja muito intenso no caso dos adultos, vermelho sujo nos jovens e praticamente preto nos filhotes. As patas também têm uma intensa cor laranja-avermelhada nas aves adultas.

Características gerais das cegonhas

A cegonha-branca é uma ave bastante silenciosa. Mas quando faz vocalizações, por exemplo, durante o cortejo ou quando está com medo, ela o faz em tons ásperos. O som mais característico da espécie é a sua tagarelice alta produzida pelo clique das suas mandíbulas para cumprimentar o parceiro.

Espalhando a boa sorte pelo mundo

A cegonha-branca abandona em fevereiro a região africana dos grandes lagos, onde passou o inverno, e em bandos segue para a Europa. Às vezes, interrompe sua migração para a África Oriental se encontrar uma infestação de gafanhotos, pois estes são a sua principal fonte de alimento. Em seguida, continua sua longa jornada de milhares de quilômetros.

Curiosidades sobre essas aves

Quando falamos em cegonhas da boa sorte, costumamos nos referir à Ciconia ciconia, a espécie com a cor branca característica. Poucos pássaros são tão familiares quanto ela e estão tão arraigados nas tradições dos assentamentos humanos. 

Ao contrário da sua irmã de cor preta, a cegonha-branca tem a simpatia do ser humano. Por isso, há muito tempo se associa às vilas e cidades, conseguindo, assim, gozar de sustento e proteção.

Na Espanha, essa espécie encarou nas últimas décadas uma mudança drástica na paisagem rural onde vivia. Isso levou ao seu desaparecimento em muitas regiões do país.

São realmente consideradas aves que trazem sorte?

No continente europeu, elas sempre foram recebidas com alegria. Anos atrás, as pessoas costumavam preparar plataformas nos telhados para que elas formassem seus ninhos. E em muitos países, como na Alemanha ou na Dinamarca, elas ainda são consideradas um símbolo de boa sorte.

As cegonhas e os bebês

As cegonhas têm sido associadas à chegada de bebês há séculos, em parte graças a um conto popular de Hans Christian Andersen. Mas também porque sua presença habitual nas coberturas das casas dava aos pais uma via de escape para a situação “um pouco constrangedora” de explicar aos filhos de onde vinham os bebês.

As cegonhas e a primavera

Outro milagre atribuído à chegada dessas aves às aldeias é o início da primavera. É por isso que elas se tornaram um símbolo de felicidade e boa sorte. Para um dinamarquês, por exemplo, o retorno das cegonhas sinalizava o fim do inverno frio e rigoroso. Algo que hoje não é tão confiável já que, devido às mudanças climáticas, essas aves voltam cada vez mais cedo.

Apesar de tudo, a tradição mostra como todos os tipos de engenhocas eram colocadas nos telhados dos prédios para facilitar a construção dos seus ninhos.

As cegonhas e a primavera

Hoje as cegonhas ainda são consideradas aves da boa sorte?

Em geral, o cidadão comum fica incomodado com os animais selvagens. Ruídos, excrementos, possíveis doenças, prejuízos e acidentes. E essa é uma realidade que devemos mudar.

Embora não seja sábio conservar espécies apenas por motivos de superstição, como era feito com as cegonhas, é ótimo para preservar a biodiversidade.

As cegonhas, como muitas outras aves, se protegem durante a época de reprodução, o que talvez seja o que mais incomoda os seres humanos, pois é a época em que a ave faz ninhos em cima de edifícios: muitas vezes em edifícios históricos, como igrejas e campanários, e outras vezes em torres de luz elétrica. Isso pode gerar problemas de segurança devido a queda de galhos, cortes de energia ou deterioração do material urbano.

Por isso, é necessário desenvolver métodos capazes de restabelecer a boa relação que existia entre o homem e essas aves da boa sorte. Respeitando o ecossistema natural dos animais, podemos evitar que eles invadam excessivamente nossas cidades, e quanto mais facilidades lhes dermos, mais eles cuidarão do ambiente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *