Anchova ou biqueirão: características de distribuição e valor comercial

A anchova ou o biqueirão é um animal de extrema relevância em grande parte da gastronomia mundial. Além disso, é uma espécie muito curiosa em termos biológicos.

A anchova ou biqueirão é um peixe clupeiforme do gênero Engraulis, ao qual pertencem 9 espécies diferentes. Esses animais desempenham um papel fundamental na cadeia alimentar dentro dos oceanos e também têm um impacto fora deles. A boa saúde dessas populações animais torna possível a vida no oceano como a conhecemos.

Esse animal é conhecido como biqueirão quando se refere ao estado vivo ou fresco para consumo humano. Seu outro nome, anchova, é dado após um processo de salga e posterior embalagem em óleo vegetal para sua conservação. A seguir, vamos mostrar as características desse animal e sua grande importância como alimento para os humanos.

Características da anchova ou biqueirão

A anchova ou biqueirão é um dos peixes mais conhecidos e consumidos pelas pessoas, juntamente com outros peixes azuis, como o carapau ou a sardinha. Como dissemos, ele recebe um nome ou outro dependendo do seu estado. Se estiver vivo ou se for consumido fresco será biqueirão, quando conservado será denominado anchova.

É um peixe pequeno, entre 9 e 20 centímetros. Possui corpo alongado e comprimido lateralmente. Tem um bico pontiagudo com o maxilar mais curto que as mandíbulas superiores. Vista de frente, a região facial é lisa e achatada, que se alarga na região das brânquias. Essa característica serve para ameaçar seus predadores.

Além disso, esses peixes possuem olhos grandes que ocupam quase toda a região facial, visto que são animais bastante visuais. Quando estão vivos ou frescos, apresentam uma cor azul muito marcante, que se perde após a preparação da conserva.

Uma grande anchova.

 

Distribuição do biqueirão

Embora existam várias espécies de anchova ou biqueirão, uma das mais importantes no âmbito gastronômico e comercial é a Engraulis encrasicolus.

Esse animal se distribui por toda a costa atlântica da Europa, o Mar Mediterrâneo, o Mar Negro e toda a costa atlântica da África, e até mesmo por pequenas regiões do Oceano Índico, como Ilhas Maurício, Seychelles e áreas de ressurgência ao redor da Somália.

Habitat do biqueirão

Engraulis sp. é um animal pelágico, ou seja, vive na superfície dos mares e oceanos, a uma profundidade máxima de 400 metros. A espécie forma grandes cardumes, que oferecem aos espécimes a proteção necessária para migrar do hemisfério norte para o sul todos os anos.

A migração do biqueirão é um dos eventos naturais mais importantes que ocorrem nos oceanos. É uma época de afloramento de vida, abundância de alimentos e uma boa época de pesca para o ser humano.

Valor comercial da anchova ou biqueirão

A anchova ou o biqueirão tem alto valor comercial e é um dos peixes mais consumidos no mundo. Em alguns países, como a Espanha, esse animal representa 30% dos peixes consumidos nacionalmente, além de esse país ser um grande exportador, principalmente da variante em conserva.

Por ser uma espécie de grande importância comercial, as capturas nas últimas décadas aumentaram consideravelmente. Em muitas ocasiões, certas populações foram completamente dizimadas, de modo que não se conseguia mais pescar nenhuma anchova por mais que se tentasse.

Por essa razão, em muitos países europeus foi estabelecida uma lei que proíbe a pesca e a venda de espécimes com menos de 9 centímetros, por serem considerados animais jovens.

A pesca predatória, vinculada a problemas ambientais, como a poluição e o aquecimento global, fizeram com que o número de exemplares da espécie esteja em declínio atualmente.

Para além do estabelecimento de medidas restritivas em relação ao tamanho, também foram decretadas proibições de pesca em determinadas épocas do ano, bem como períodos de exploração em regiões específicas.

Algumas anchovas fritas.

 

Como a anchova está localizada em um nível muito baixo da cadeia alimentar dos oceanos, seu desaparecimento pode criar um verdadeiro caos ecológico em todos os oceanos do planeta Terra. Portanto, é necessário proteger essa espécie a todo custo, por nós e pelos outros animais que nos cercam.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *