4 tipos de comunicação entre animais

A comunicação verbal não é a única que existe e nem a mais eficaz de todas. Os animais usam muitos outros métodos para enviar mensagens aos seus pares.

Os humanos, tão ligados à linguagem verbal, às vezes não conseguem entender a comunicação entre os animais. No entanto, o mundo deles é tão complexo e diverso quanto o nosso no que diz respeito à transmissão de mensagens.

Nas linhas a seguir, vamos apresentar uma revisão das diferentes formas de comunicação que os animais usam para se trocar informações entre si. Você vai se surpreender com tudo o que pode ser dito sem o uso das palavras.

Tipos de comunicação entre animais

Não é necessário apenas considerar a capacidade de articular uma linguagem falada ao analisar a comunicação entre os animais. Cada espécie processa os estímulos do ambiente de uma forma própria, de modo que suas mensagens sejam adaptadas à diversidade sensorial de todos os seus receptores.

Zoossemiótica é o nome dado ao conjunto de sinais que os animais usam para se comunicar. Esses sinais, que podem ser direcionados à sua própria espécie ou a outras, são variados e igualmente interessantes. Confira alguns exemplos a seguir!

1. Comunicação química

A comunicação química ocorre por meio dos feromônios, que são substâncias químicas liberadas no meio ambiente por volatilidade e cujo objetivo é ativar uma resposta fisiológica em outro indivíduo. Por ser um mecanismo antigo – filogeneticamente falando – está relacionado a processos muito básicos, como o acasalamento.

No entanto, algumas espécies usam a comunicação química de uma forma interessante: é o caso das formigas, que liberam traços de feromônios atrás de si mesmas para orientar suas companheiras em direção às fontes de alimento. Elas também comunicam seu status social na colônia por meio dessas substâncias.

Os feromônios estão presentes em fluidos corporais, como o suor ou a urina. Muitos animais se comunicam por meio deles, como os cães.
As formigas se comunicam.

2. Comunicação auditiva

A comunicação por sons é uma das que mais se conecta com o ser humano. As mensagens auditivas têm a vantagem de não necessitar de contato visual ou tátil e são úteis para uma grande variedade de espécies quando se trata de marcar território, procurar um companheiro ou alertar sobre predadores.

As aves são o exemplo mais claro de comunicação auditiva, mas existem outras formas muito interessantes, como o uso do ultrassom em cetáceos – as ondas sonoras não viajam apenas pelo ar -, os sonares ultrassônicos em morcegos ou o infrassom no caso dos elefantes.

A comunicação entre os animais pode ser muito variada.

 

3. Comunicação entre animais por meios visuais

A visão é essencial para a sobrevivência de muitas espécies e não apenas para procurar comida ou ver a aproximação de predadores. Os sinais visuais podem variar desde posturas corporais específicas até cores aposemáticas, o que indica que não é uma boa ideia comer um sapo-flecha, por exemplo.

Mudanças de cor também são sinais interessantes: podem ser voluntárias, como algumas lulas fazem para se camuflar, ou estar associadas a mudanças no organismo.

Para este último exemplo, um bom caso é são das fêmeas dos babuínos (gênero Papio), cujos órgãos reprodutivos ficam de uma tonalidade vermelho-brilhante em seu estágio fértil.

A comunicação entre os animais é complexa.

 

4. Sinais táteis

O toque é outro dos sentidos que não são altamente desenvolvidos nos seres humanos, por isso é difícil imaginar a riqueza de suas nuances. É verdade que sua amplitude se restringe à distância entre os organismos, mas é evidente que todas as espécies se beneficiam disso: poucos mamíferos se socializam sem contato físico.
Os sinais táteis são bastante comuns em insetos. As abelhas, por exemplo, usam sinais táteis na escuridão da colmeia em sua famosa dança para indicar a posição do alimento.
No entanto, as dicas táteis não se limitam apenas ao contato físico. As vibrações também fazem parte do ritual de cortejo de algumas espécies de aranhas e os elefantes podem dizer quem está se aproximando pelas vibrações produzidas pelos passos. Existem até espécies de peixes que se comunicam por meio de sinais elétricos.

Como você pode ver, é possível se comunicar de forma rica e eficaz sem usar as palavras. Na verdade, a complexidade comunicativa de algumas espécies, como o golfinho, coloca em questão a exclusividade humana quando se trata de chamar de linguagem os sinais que emitimos. Embora muitos animais não falem, basta saber com que órgão ouvir para entendê-los.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *