Pintora-brasileira – Brasiliorchis picta

0
7
Pintora-brasileira – Brasiliorchis picta
Pintora-brasileira – Brasiliorchis picta
Nome Científico: Brasiliorchis picta
Sinonímia: Maxillaria picta, Maxillaria acutipetala, Maxillaria leucocheile, Maxillaria consanguinea, Maxillaria kreysigii, Maxillaria fuscata, Maxillaria monoceros, Maxillaria rupestris, Maxillaria hoehnei, Maxillaria rupestris, Bolbidium pictum, Epidendrum uniflorum,Brasiliorchis consanguinea
Nomes Populares: Pintora-brasileira,
Família: Orchidaceae
Categoria: Flores, Orquídeas
Clima: Equatorial, Subtropical, Tropical
Origem: América do Sul, Brasil
Altura: 0.1 a 0.3 metros
Luminosidade: Meia Sombra, Sol Pleno
Ciclo de Vida: Perene
A pintora-brasileira é uma orquídea com delicadas flores pintadas que exalam um delicioso perfume de mel. Ela é nativa da região sul e sudeste do Brasil, vegetando em altitudes de 200 a 600 metros, como epífita (nas árvores) ou como rupícola (sobre rochas). Os pseudobulbos tem formato fusiforme, e podem ser curtos ou alongados. O rizoma é forte, curto e bastante ramificado, formando touceiras bastante densas. Apresenta geralmente duas folhas no ápice do pseudobulbo. As inflorescências surgem no final do inverno e início da primavera. Em touceiras grandes, é possível apreciar uma grande quantidade de hastes florais, que surgem da base da planta. As flores são pequenas, alcançando de 3,5 a 5 cm de diâmetro. Elas são brancas a amarelas, com pintas de cor vermelha ou laranja. O labelo ainda possui raios avermelhados.
Cultive a pintora-brasileira em vasos largos e rasos, assim ela tem a possibilidade de formar uma touceira grande e, na ocasião da floração, a planta poderá adornar interiores com toda sua graça e beleza. Também vai muito bem quando amarrada sob a copa das árvores, onde sua adaptação será excelente. Só cuide que a árvore escolhida preferencialmente não tenha casca descamante ou seja decídua. É uma orquídea bastante interessante para uso em jardins verticais, pelo aspecto entouceirado e hábito epifítico.
Deve ser cultivada sob meia-sombra ou sol pleno, em substrato próprio para epífitas, bastante drenável, mas com boa capacidade de reter umidade. A condição de meia-sombra é a mais indicada, principalmente em climas quentes. Em regiões subtropicais ou temperadas, o sol pleno é possível também. O ideal, para orquidários com luminosidade controlada, é de 50% de sombreamento. Prefere vasos de madeira ou cerâmica, com substrato composto de fibra e casca de côco, que pode ser misturado com gravetos e cacos cerâmicos ou pedras. Multiplica-se por sementes, mas principalmente por divisão da touceira, permanecendo cada nova muda com pelo menos três pseudobulbos e uma guia.

A loja JARDIM ANIMAL tem tudo para o seu melhor cultivo, confira os destaques:

*Terra vegetal, substratos especiais, turfa , guano de morcego, humus de minhoca

*Adubos químicos compostos, adubos foliares peters, hormônios vegetais e indutores do tipo GA3 e AIB

*Vasos para suas flores e plantas produzidos a partir de fibras biológicas que ajudam no crescimento das plantas e ainda evita pragas e doenças

CLIQUE AQUI E CONHEÇA ESTAS E MUITAS OUTRAS SOLUÇÕES PARA O SEU MELHOR CULTIVO.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here