COCO , Como plantar? Qual o melhor adubo?

COCO , Como plantar? Qual o melhor adubo?

A imagem de coqueiros balançando ao vento é quase um sinônimo de litoral nordestino. Não por acaso, é nessa região de clima escaldante durante quase o ano todo que se encontra a maior parte das plantações do Brasil. Nos últimos anos, no entanto, vem ocorrendo um deslocamento das áreas tradicionais de cultivo para outras partes do país. Produtores do Sudeste e Centro-Oeste estão explorando a cultura do coqueiro-anão irrigado, para a produção de água de coco.

No mundo, os coqueiros são cultivados em sua maioria por pequenos agricultores da Ásia, África, América Latina e Pacífico. O coqueiro-gigante, que atinge 18 metros de altura, está no Brasil desde o século 16, enquanto o anão, que bate nos dez metros de altura, chegou por aqui nos anos 20 do século passado.

Além da sombra, a árvore oferece uma fruta bastante apreciada e com diferentes finalidades. Do coco aproveita-se a água, que é bastante saudável pela riqueza de sais minerais. Já sua polpa é utilizada pela indústria para a fabricação de leite de coco e de coco ralado, ingrediente para a elaboração de chocolates, biscoitos, iogurtes e sorvetes, entre outros alimentos. A fibra extraída da casca é usada em estofamentos de veículos, enchimento de colchões, tapeçaria e na confecção de pincéis.

Apesar do leque de opções, a decisão do agricultor para começar a atividade deve levar em conta a demanda do mercado. Como a produção ocorre, pelo menos, depois de três anos, é importante avaliar se as características locais são ideais para o desenvolvimento do fruto.

VARIEDADES

Entre as muitas variedades de coco existentes no mercado brasileiro, as que mais sobressaem são a gigante e a anão. Dos plantios de coqueiros no país, aproximadamente 70% são da cultivar gigante e 20% da anão. O restante é composto de híbridos originados de cruzamentos. O anão ainda possui três tipos: verde, vermelho e amarelo, mas apenas o verde é explorado para a produção de água.

MÃOS À OBRA

• Antes de iniciar o plantio, observe as condições de clima, solo e a qualidade da muda. Os coqueirais se desenvolvem bem em lugares com temperaturas elevadas. O ideal é por volta de uma média anual de 27 graus.
• Áreas com boa distribuição de chuvas – precipitação anual de 1,5 mil milímetros – são as mais indicadas. Uma dica é começar a lavoura de coqueiros no início da estação das chuvas. Caso contrário, utilize um sistema de irrigação.
• Entre as variedades, o coqueiro-gigante é o mais rústico, florescendo entre seis e oito anos após o plantio. O longo tempo para começar a atividade é compensado pela produção de 40 a 60 frutos por planta ao ano. Sob condições favoráveis, o período de produção econômica é de 60 anos.
• Já o anão, mais exigente em água e nutrientes, se desenvolve mais cedo, depois de quatro anos do cultivo. Possui frutos pequenos e tem menor vida útil, ou 40 anos de produção. Mas é mais produtivo: 150 a 200 frutos por planta ao ano.
• Em terrenos pequenos, a indicação é cultivar o coqueiro híbrido – mistura das duas variedades -, que produz de 100 a 120 frutos. Em uma área de um hectare, dá para plantar 100 árvores, em espaçamentos de 10 x 10 metros.

DADOS GERAIS

• Família: pertence à espécie Cocos nucifera L., com destaque às variedades typica (gigante) e nana (anão).
• Plantio: início do período das chuvas em áreas não irrigadas.
• Solo: leves, bem drenados, bom suprimento de água.
• Clima: quente, média de 27 graus e não abaixo de 15 graus.
• Culinária: receitas nordestinas como moquecas, vatapá, cocadas, cuscuz de tapioca, e mingaus, bolos, doces e sorvetes.
• Uso medicinal: a água é rica em potássio e sais minerais, e substitui o soro fisiológico em casos de desidratação.
• Colheita: seis meses após a inflorescência, quando a finalidade for obtenção de água, e 12 meses para coco seco.
• Área: 100 plantas por hectare.

Todas planta Necessita de um bom adubo, tem pessoas que gostam de adubos orgânicos e tem outras pessoas que gostam de adubos químicos compostos, veja qual você mais gosta, clicando abaixo:

CLIQUE AQUI PARA SABER MAIS SOBRE O ADUBO ORGÂNICO PARA O PÉ DE COCO
CLIQUE AQUI PARA SABER MAIS SOBRE O ADUBO QUÍMICO COMPOSTO PARA O PÉ DE COCO

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *